Radio Lusitania CB

sexta-feira, junho 09, 2017

Coisas que aprendeu na escola e que já não são verdade


A ciência e o conhecimento evoluem, por isso muitas das coisas que aprendemos na escola já não são totalmente verdade 

Se ainda aprendeu na escola que Plutão era o nono planeta, já sabe que não é verdade. No entanto, não se pode qualificar de mentira ou erro o que aprendeu, a questão é que o conhecimento evolui e renova-se. 


Erros de tradução, interpretações ambíguas, conceitos contraditórios, simplificações, equívocos, conhecimento obsoleto, mitos populares, explicações erróneas também fazem parte do currículo escolar.

Colombo descobriu que a Terra era redonda 


Colombo descobriu que a Terra era redonda Pois, mas na Grécia antiga era sabido que a Terra era redonda, e Eratóstenes de Cirene geógrafo chegou a fazer uma medição do diâmetro do nosso planeta. Na verdade, o próprio Colombo conhecia o trabalho de cartógrafos que propuseram a esfericidade da Terra. 
Camaleões mudam de cor para se camuflar

As cores dos camaleões têm alimentado muitos dos mitos da escola.Estes répteis escamosos não mudam de cor apenas para se camuflar. Também fazem isso para comunicar diferentes estados físicos ou de humor, por exemplo, se uma fêmea é receptiva ou grávida, se um macho está com raiva, se há um inimigo ou presa à vista. Também serve para regular a temperatura.


O arco-íris tem sete cores

Com as experiências de difração prismas, Isaac Newton definiu as sete cores do arco-íris: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, índigo e violeta ou roxo. O número escolhido não foi acidental, mas estava relacionado com os planetas então conhecidos, dias da semana e as notas musicais. Mas a realidade é que ficou aquém. Lembre-se, o conceito de cor é não só físico, mas também psicológico e fisiológico, assim como a escuridão e uma saturação de cor e misturas permitem perceber uma ampla gama de cores.


Cada zona da língua está associada a um sabor

O doce é percebido na ponta, o amargo na parte de trás: são declarações erróneas sobre a perceção de gosto. "Os botões para diferentes sabores são distribuídos uniformemente em toda a língua. Se experimentar colocar na ponta da língua algo amargo é facilmente identificado", defende o biólogo Carmen Augustine, Unidade de Pesquisa em Biologia Funcional e Antropologia Física da Universidade de Valência.


O magma dos vulcões vem do centro da Terra

Embora esta crença se estenda desde a fase de escola, o magma é rocha fundida que, em alguns lugares, é agrupada formando bolsos nas últimas camadas de crosta terrestre, entre 80 e 200 km de profundidade, uma região conhecida como o astenosfera. O centro da Terra é mais de 6.000 quilómetros de profundidade.


Peixes respiram oxigénio a partir da água
Até deve ter ouvido que os peixes engolem a água pela boca e bombeiam-na depois pelas guelras. A explicação leva a um erro de dedução: para viver, o peixe tinha que beber água para receber o oxigénio. Na verdade, a água entra pela boca do peixe e vai até às guelras. Aí, o sangue recebe oxigênio. Depois, expulsa dióxido de carbono pelos opérculos, que são na realidade os buracos que se encontram em cada lado da cabeça do peixe. Nunca engolem a água do mar.


As invenções

Gutenberg inventou a imprensa; Watt, o vapor; e Graham Bell, o telefone. Em parte verdade. Johannes Gutenberg inventou o que era a moderna impressão com tipos móveis. Mas muito antes, romanos e chineses já tinham dado os primeiros passos com impressoras mais arcaicas. O primeiro vapor não se deve ao mecânico escocês James Watt. Ele foi desenvolvido em 1633 por Edward Somerset com a ideia de levar água a partir do primeiro andar para o segundo num castelo de Londres e, décadas mais tarde, foi o engenheiro Thomas Newcomen que criou o vapor atmosférico a partir do vapor da queima de fósseis naturais. Watt, no entanto, fez melhorias dramáticas no motor de Newcomen. Finalmente, o verdadeiro inventor da transmissão do som através de fios elétricos (chamado teletrofono e telefone) não foi Alexander Graham Bell, mas o engenheiro mecânico italiano Antonio Meucci.



Darwin foi o inventor da teoria da evolução

É verdade, mas muitas vezes não é referido que Alfred Russell Wallace chegou às mesmas conclusões, e quando as compartilhou com Darwin, este decidiu publicar o seu próprio estudo. Hoje, é muitas vezes chamada de Teoria de Darwin-Wallace. Tecnicamente, também não foi o cientista britânico Alexander Fleming que descobriu a penicilina, mas Howard Florey, Norman Heatley e Ernst B. Cadeia.



Os seres humanos só usam 10% do cérebro
Atualmente sabe-se que não é assim. Existem diferentes áreas que processam as informações ou habilidades diferentes, usando a maioria do nosso tecido neuronal. Na verdade, a neurociência tem mostrado que algumas tarefas usam 100% do nosso cérebro.



Só os fortes sobrevivem

O certo seria dizer que há espécies mais adaptadas, já que em muitos casos não é necessário força física para eliminar concorrentes. As mudanças climáticas podem fazer sobreviver espécies que melhor se adaptam às novas condições, sem que a força tenha qualquer influência.



Os seres vivos estão agrupados em três reinos
A classificação tradicional dos seres vivos em animais, plantas e unicelulares tornou-se obsoleta na década de 70, mas continuou a aparecer em muitos livros. Esta divisão foi substituída por animais, plantas, protistas (eucariotas unicelulares ou multicelulares sem tecidos diferenciados) e procariotas (bactérias ou organismos sem núcleo).



O corpo humano tem cinco sentidos

É uma explicação incorreta da nossa percepção. Os famosos cinco sentidos humanos são realmente mais do que vinte, como a sede, a fome, a consciência corporal (propriocepção),a percepção de dor ou de temperatura (nocicepção e termocepção), equilíbrio, ou seja, profundidade e sinestesia (a combinação de sensações que percebemos).



Newton descobriu a gravidade, porque uma maçã lhe caiu na cabeça
É verdade que o físico Isaac Newton estava sentado debaixo de uma macieira quando iniciou a teorização da lei da gravidade que, entre outras coisas, explica as órbitas dos planetas ao redor do sol. Mas o seu biógrafo, William Stukeley, já em 1752, revela que Newton lhe contou que foi de facto a queda de uma maçã que o levou a considerar a ideia da força universal da atração, mas nunca o atingiu na cabeça, como dizem várias versões da história.


Toda a matéria é feita de átomos
Embora tenha sido dito na escola até muito recentemente, sabemos agora que há antiprotões e positrões formados de antimatéria. Existem aplicações médicas baseadas no uso de antimatéria. E recentemente descobriu-se a matéria escura, sobre a qual ainda não se sabe quase nada.



Aranhas e centopeias são insectos
Grande erro. As arannhas,com as suas características quatro pares de pernas, pertencem à classe de invertebrados chamados aracnídeos e as centopeias à dos milípedes,com uma multiplicidade de pares de pernas.

In: DV

sábado, maio 06, 2017

10 fotos tiradas por drones que mostram lugares proibidos

Com a comercialização cada vez maior de aparelhos voadores não tripulados, o mais comum dos mortais passou a ter a possibilidade de “visitar”, ou pelo menos recolher imagens vistas de cima, de locais proibidos e que normalmente estão vedados às pessoas. Com isso, as leis também foram obrigadas a mudar.

As imagens que vai ver nesta nossa lista mostram alguns desses lugares. Locais em que é completamente proibido entrar, mas que alguns aventureiros ousaram captar imagens recorrendo aos seus drones.

Muitos destes lugares são proibidos para o mais comum dos mortais por diversas razões, quer seja por motivos de segurança, ou simplesmente por se tratarem de locais secretos de regimes menos democráticos, estes lugares permaneciam ocultos para a maioria… até hoje.

Veja já a seguir 10 imagens de lugares proibidos fotografados por drones:


Síria

A guerra civil síria tem sido devastadora para aqueles apanhados no fogo cruzado. Aqui, um drone fotografa o caos.



Uma vez a terceira maior cidade da Síria, Homs foi praticamente destruída depois de uma batalha de quatro anos entre o governo e a oposição, matando milhares de pessoas e deixando a cidade em ruínas.




Pequim, China

O americano Trey Ratcliff aprendeu da maneira mais difícil porque o Palácio Imperial da Pequim é chamado de “A Cidade Proibida.”


Não deve ser nenhuma surpresa que sobrevoar a sede do governo chinês e os seus centros de conexões de inteligência é mal aconselhado.

Felizmente, Ratcliff foi capaz de tirar algumas imagens aéreas antes de ser capturado e preso pelas autoridades chinesas.


Ele foi libertado pouco tempo depois.


Pripyat, Ucrânia

As consequências da catástrofe nuclear de Chernobyl de 1986 são evidentes até hoje.


A segurança nuclear, muito compreensivelmente, tornou-se uma grande preocupação após o acidente.

O sistema Duga na Zona de Exclusão de Chernobyl foi construído para detectar ataques de mísseis com uma rede de radares de alerta precoce.


É emitido um sinal tão forte que até mesmo os utilizadores de rádio nos Estados Unidos podiam ouvir os seus “cliques.” Como tal, recebeu o apelido de “Pica-pau russo.” Desde então, foi abandonado e tem vindo a deteriorar-se.


Kazantip, Crimeia

A Estação de Energia Atómica da Crimeia está em construção desde 1976; uma instabilidade geológica fez o projeto ser abandonado.



Era o local do festival de música electrónica KaZantip de 1993 a 1999. Um anónimo comprou o local em 2005, e hoje está inacessível.



Okuma, Fukushima, Japão

O terremoto de 9,0 de magnitude que sacudiu Okuma em 2011 causou uma reação em cadeia, provocando um tsunami que esmagou a usina nuclear de Fukushima.



Mais de 150.000 pessoas em todo o país e 11.515 residentes de Okuma foram forçados a evacuar as suas casas devido ao tsunami e crise nuclear.

Após o desastre nuclear causado pelo tsunami, Okuma tornou-se uma cidade fantasma e proibida


Provavelmente vai levar décadas até que a cidade possa ser habitada novamente; felizmente, a vida tem sido restaurada em outras partes da área de Fukushima.


Área 51, Nevada, EUA

Contos – especialmente relacionados a OVNIs – cercam a base da Força Aérea dos EUA (apelidado de “Área 51”) em Nevada desde 1950.


O seu acesso é totalmente proibido, mas algum conseguiu sobrevoar a região com um drone recentemente, embora poucas coisas possam ser vistas.



Debaltsevo, Ucrânia

Quando os militares da Rússia anexaram a Crimeia em 2014, provocaram um conflito entre as forças militares ucranianas e pró-russas. Estas imagens mostram os restos de um cerco de tanques.


A área é agora conhecida como Caldeirão Debaltsevo.



Tar Heel, Carolina do Norte, EUA

Uma filmagem de um drone guiado pelo cineasta Mark Devries revelou as práticas terríveis de uma instalação de produção de porcos, propriedade da maior fornecedora mundial de carne de porco, a Smithfield Foods.


Escondida em uma parte remota da Carolina do Norte, o local estava longe dos olhos do público, e o enorme lago vermelho que você vê acima está realmente cheio de urina e fezes de milhares de porcos.



Torre de Tesla, Rússia

A Torre de Tesla era uma “máquina de raios” do período soviético que gerava tanta eletricidade que fazia o cabelo de um explorador ficar em pé, e a instalação secreta ainda está inteira, como essas imagens de drones revelam.


Uma vez que a União Soviética encontrou seu fim, assumiu-se que a torre foi abandonada, mas parece que esse não foi exatamente o caso.




Spitsbergen, na Noruega

Em uma ilha a cerca de 1.000 km do Pólo Norte, no arquipélago ártico de Svalbard, está um cofre que pode ajudar a garantir a continuidade da nossa espécie. No interior estão 860.000 amostras de sementes de uma infinidade de espécies como um “backup”, apenas no caso de perdemos as nossas colheitas.


Projetada em 2006, é supostamente tão estéril que a instalação permanecerá seca mesmo no caso de as calotas polares derreterem. As temperaturas são mantidas a -18 ° C.


In: BI

8 anormalidades do nosso planeta que os cientistas lutam para conseguirem explicar

1 - Montanhas magnéticas, Índia 



Se você estacionar um carro no pé da colina e colocá-lo em ponto morto, ele vai começar a subir a colina. Dá a impressão que há alguma força invisível puxando o carro para cima. Não há nenhuma explicação definitiva para este fenómeno, mas alguns pensam que é uma ilusão criada por uma montanha magnética.

2 - Dólmens



Placas de pedra antigas formando uma espécie de ”mesa” são encontradas em lugares muito diferentes em nosso planeta. Os arqueólogos acreditam que seriam tumbas. Diz-se que alteram o funcionamento dos relógios e fazem outros dispositivos se comportarem de forma estranha.

3 - Quedas de água com chamas eternas, EUA


Uma cachoeira incomum criada pela própria natureza. O fenómeno é explicado por pequenas fissuras emissoras de gás natural. Às vezes a chama extingue-se e tem de ser re-inflamada. Há mesmo a crença de que quem reanimar a chama será abençoado com fortuna.

4 - Castelo Frangokastello, Grécia


O castelo medieval Frangokastello, na costa sul, é famoso pelo fenómeno conhecido como “Drosoulites“. Diz a lenda que nas manhãs de maio e junho, sombras de soldados armados e cavaleiros que morreram na batalha de maio de 1828 rondam o castelo. O fenómeno é observado no início da manhã, quando a humidade do ar é mais elevada e o mar está calmo e silencioso, o evento dura cerca de 10 minutos. As forças alemãs que ocuparam essas terras quase enlouqueceram de medo e começaram a disparar contra a miragem.

5 - Catacumbas Checas, República Checa


As lendas dizem que se podem ouvir os sons de um órgão que emana das catacumbas checas. Em 1996, os cientistas documentaram esses sons. A passagem subterrânea tem 30 metros de profundidade, e não há um único espaço em que pudesse caber um instrumento musical de tal tamanho. Testemunhas foram também examinadas por psicólogos para se eliminar a teoria de alucinação em massa.

6 - A Floresta de Pedra, China


Talvez a maior maravilha deste país. A Floresta de Pedra surgiu há mais de 200 milhões de anos. Antes disso, havia o mar, onde grossas camadas de calcário formavam enormes construções. Os movimentos tectónicos criaram a superfície das pedras. Na parte subterrânea da floresta, a ‘Qifeng Cave’ é um lugar de verdadeira maravilha: de agosto a novembro, a cada 30 minutos, um rio subterrâneo cria um vórtice que dura apenas alguns minutos e depois se dissipa rapidamente.

7 - O Rio das Cinco Cores, Colômbia


Durante a maior parte do ano este rio é igual a qualquer outro, mas no verão se transforma em uma ‘tapeçaria’ multicolorida. As ervas daninhas únicas da região decoram o rio em cores vermelhas, cor-de-rosa, azuis, verdes, e amarelas. De acordo com as lendas, debaixo da cascata de cachoeiras está o tesouro de La Mojana (a Mãe da Água).

8 - Cachoeiras de sangue Antártida


Esta cachoeira vermelho-sangue não congela mesmo até -10 °C. A geleira é considerada uma das mais frias com água corrente. Um grupo de cientistas da Universidade de Harvard provou que o “lago de sangue” é habitado por micróbios que causam este fenómeno natural incrível.

In: BI

quarta-feira, janeiro 18, 2017

Anuário 2017

Acompanhe abaixo os astroeventos de 2017, dia após dia, visíveis a olho nu (sem binóculos ou telescópios). Os horários aqui informados são no horário de Brasília. Por estar numa região central do Brasil, também foram utilizadas as coordenadas de Brasília para calcular os astroeventos. Dessa forma, dependendo da sua localidade as efemérides abaixo podem variar ligeiramente.
Tem dúvida de algum termo? No final dessa página você também encontra um pequeno glossário.

Janeiro

01 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 19h56
01 – Lua próxima de Vênus às 22h24
02 – Lua próxima de Marte às 22h54
03 – Constelação de Gêmeos em oposição às 21h54
04 – Terra no periélio. Distância: 147,1 milhões de km do Sol às 11h12
04 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Quadrantídeos
05 – Lua em quarto crescente às 17h48
08 – Lua próxima do Aglomerado das Plêiades às 20h48
12 – Lua Cheia às 09h35
12 – Vênus em máxima elongação. Visível após o ocaso às 19h49
12 – Estrela Prócion em oposição às 22h08
14 – Estrela Póllux em oposição às 07h38
15 – Lua muito próxima de Regulus às 01h00
17 – Júpiter próxima da estrela Spica às 00h59
19 – Lua em quarto minguante às 20h14
19 – Lua próxima da estrela Spica às 01h23
19 – Lua próxima de Júpiter às 01h42
19 – Mercúrio em máxima elongação. Visível antes do alvorecer às 06h54
21 – Lua no apogeu. Distância: 404.823 km da Terra às 22h12
24 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h57
24 – Lua próxima de Saturno às 06h22
24 – Constelação de Câncer em oposição às 20h34
26 – Lua próxima de Mercúrio às 05h45
27 – Lua nova às 22h08
30 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 19h49
31 – Lua próxima de Vênus às 20h12
31 – Lua próxima de Marte às 22h10

Fevereiro

04 – Lua em quarto crescente às 02h20
05 – Lua próxima do Aglomerado das Plêiades às 00h37
05 – Lua muito próxima da estrela Aldebaran às 20h31
06 – Lua no perigeu. Distância: 368.868 km da Terra às 13h57
07 – Mercúrio no afélio. Distância: 69,82 km do Sol às 12h17
08 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Alfa Centaurídeos
10 – Lua Cheia às 22h34
10 – Eclipse penumbral da Lua. No Brasil será visto totalmente, exceto no oeste da região norte às 22h44
15 – Lua próxima da estrela Spica às 06h30
15 – Lua próxima de Júpiter às 06h40
16 – Júpiter no afélio. Distância: 816,29 milhões de km do Sol às 19h20
18 – Lua em quarto minguante às 17h34
18 – Estrela Regulus em oposição às 09h37
18 – Vênus em máximo brilho às 13h35
18 – Lua no apogeu. Distância: 404.286 da Terra às 19h18
19 – Termina o horário de verão. Atrase seu relógio em 1 hora às 00h00
20 – Vênus no periélio. Distância: 107,48 milhões de Km do Sol às 12h56
21 – Lua próxima de Saturno às 01h53
22 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h10
23 – Constelação de Leão em oposição às 23h59
26 – Lua nova às 11h59
26 – Eclipse anular do Sol. No Brasil será visto parcialmente nas regiões sul e sudeste e em partes do centro-oeste e nordeste às 11h39
27 – Júpiter próximo da estrela Spica às 21h23
28 – Lua próxima de Vênus às 19h07

Março

01 – Lua próxima de Marte às 19h11
01 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 18h35
03 – Lua no perigeu. Distância: 369.210 km da Terra às 03h06
03 – Constelação de Ursa Maior em oposição às 23h35
03 – Lua próxima do Aglomerado das Plêiades às 22h14
04 – Lua muito próxima da estrela Aldebaran às 23h12
05 – Lua em quarto crescente às 08h33
10 – Lua muito próxima da estrela Regulus às 19h10
12 – Lua Cheia às 11h54
14 – Lua próxima da estrela Spica às 20h18
14 – Lua próxima de Júpiter às 20h18
15 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Gama Normídeos
18 – Lua no apogeu. Distância: 404.555 km da Terra às 14h38
20 – Lua em quarto minguante às 12h59
20 – Equinócio de outono no hemisfério sul às 07h30
20 – Lua próxima de Saturno às 05h37
24 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h16
25 – Constelação de Cruzeiro do Sul em oposição às 18h55
27 – Lua nova às 23h58
27 – Estrela Acrux em oposição às 14h22
30 – Lua próxima de Marte às 18h50
30 – Lua no perigeu. Distância: 363.928 km da Terra às 09h18
30 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 18h14
31 – Lua próxima do Aglomerado das Plêiades às 19h01

Abril

01 – Lua próxima da estrela Aldebaran às 21h20
03 – Lua em quarto crescente às 15h40
07 – Lua muito próxima da estrela Regulus às 02h37
07 – Júpiter em máximo brilho às 22h53
08 – Júpiter em oposição às 08h38
08 – Júpiter mais próximo da Terra. Distância: 666,45 milhões de km do nosso planeta às 18h25
11 – Lua Cheia às 03h09
11 – Constelação de Virgem em oposição às 04h59
12 – Estrela Spica em oposição às 15h10
15 – Lua no apogeu. Distância: 405.378 km da Terra às 07h29
16 – Lua próxima de Saturno às 22h19
19 – Lua em quarto minguante às 06h58
19 – Marte próximo do Aglomerado das Plêiades às 19h10
22 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h20
22 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Lirídeos
23 – Lua próxima de Vênus às 05h52
24 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Pi Pupideos
26 – Lua nova às 09h17
26 – Estrela Arcturus em oposição às 03h54
26 – Vênus em máximo brilho às 15h35
27 – Lua no perigeu. Distância: 359.459 km da Terra às 13h27
27 – Lua próxima de Marte às 19h06
28 – Lua próxima da estrela Aldebaran às 18h35
29 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 17h55

Maio

02 – Lua em quarto crescente às 23h48
02 – Estrela Alfa do Centauro em oposição às 11h11
04 – Lua próxima da estrela Regulus às 00h51
06 – Mercúrio no afélio. Distância: 69,82 milhões de km do Sol às 10h33
06 – Marte próxima da estrela Aldebaran às 18h55
06 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Eta Aquarídeos
07 – Lua próxima de Júpiter às 18h19
08 – Lua próxima da estrela Spica às 04h15
09 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Eta Lirídeos
10 – Lua Cheia às 18h43
10 – Constelação de Libra em oposição às 06h49
13 – Lua próxima de Saturno às 20h27
17 – Mercúrio em máxima elongação. Visível antes do alvorecer às 06h27
18 – Lua em quarto minguante às 21h34
22 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h28
22 – Lua próxima de Vênus às 06h05
24 – Lua próxima de Mercúrio às 05h12
25 – Lua nova às 16h45
26 – Lua próxima de Marte às 18h35
28 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 17h47
30 – Estrela Antares em oposição às 03h34
30 – Constelação de Escorpião em oposição às 06h44
31 – Lua próxima da estrela Regulus às 18h25

Junho

01 – Lua em quarto crescente às 09h43
03 – Vênus em máxima elongação. Visível antes do alvorecer às 06h32
03 – Lua próxima de Júpiter às 21h42
04 – Lua próxima da estrela Spica às 18h23
09 – Lua Cheia às 10h10
12 – Vênus no afélio. Distância: 108,94 milhões de km do Sol às 19h30
15 – Saturno em máximo brilho às 07h16
15 – Saturno em oposição às 08h37
15 – Saturno mais próximo da Terra. Distância: 1,352 bilhões de km da Terra às 11h07
17 – Lua em quarto minguante às 08h33
20 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h37
21 – Lua próxima de Vênus às 03h44
21 – Solstício de inverno no hemisfério sul às 17h40
22 – Lua próxima do Aglomerado das Plêiades às 04h50
22 – Lua próxima de Aldebaran às 05h57
23 – Lua nova às 23h31
23 – Lua no perigeu. Distância: 358.106 km da Terra às 07h39
27 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 17h50
27 – Lua muito próxima da estrela Regulus às 21h15
27 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Bootídeos
29 – Estrela Vega em oposição às 22h50
30 – Lua em quarto crescente às 21h52

Julho

01 – Lua próxima de Júpiter às 00h08
01 – Lua próxima da estrela Spica às 22h23
03 – Vênus próximo do Aglomerado das Plêiades às 05h43
03 – Terra no afélio. Distância 152,09 milhões de km do Sol às 10h12
05 – Constelação de Sagitário em oposição às 12h51
06 – Lua no apogeu. Distância: 405.880 km da Terra às 02h10
09 – Lua Cheia às 01h07
14 – Vênus próximo da estrela Aldebaran às 04h05
16 – Lua em quarto minguante às 16h26
19 – Lua próxima do Aglomerado das Plêiades às 03h07
20 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h38
20 – Lua próxima de Vênus às 06h09
21 – Lua no perigeu. Distância: 361.282 km da Terra às 13h57
23 – Lua nova às 06h46
24 – Lua próxima de Mercúrio às 19h21
24 – Lua próxima da estrela Regulus às 19h31
25 – Mercúrio muito próximo da estrela Regulus às 19h24
26 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 17h59
28 – Lua próxima de Júpiter às 18h28
28 – Lua próxima da estrela Spica às 22h53
28 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Piscis Austrinídeos
30 – Lua em quarto crescente às 12h24
30 – Mercúrio em máxima elongação. Visível após o ocaso às 18h00
30 – Estrela Deneb em oposição às 19h25
30 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Delta Aquarídeos
30 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Alfa Capricornídeos

Agosto

02 – Constelação de Capricórnio em oposição às 00h25
02 – Mercúrio no afélio. Distância: 69,82 milhões de km do Sol às 09h49
02 – Lua no apogeu. Distância: 404.943 km da Terra às 15h27
03 – Lua próxima de Saturno às 02h41
07 – Lua Cheia às 15h11
13 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Perseídeos
14 – Lua em quarto minguante às 22h16
15 – Lua próxima do Aglomerado das Plêiades às 05h37
16 – Lua muito próximo da estrela Aldebaran às 02h07
18 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h26
18 – Lua no perigeu. Distância: 366.093 km da Terra às 10h57
18 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Kappa Cygnideos
19 – Lua próximo de Vênus às 04h49
21 – Lua nova às 15h31
21 – Eclipse total do Sol. No Brasil será visto parcialmente em parte das regiões norte e nordeste às 15h27
25 – Lua próximo de Júpiter às 18h26
25 – Lua próxima da estrela Spica às 18h39
25 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 18h05
25 – Constelação de Aquário em oposição às 23h19
29 – Lua em quarto crescente às 05h14
30 – Lua no apogeu. Distância: 404.224 km da Terra às 08h38
30 – Lua próxima de Saturno às 18h42

Setembro

01 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Alfa Aurigídeos
03 – Júpiter próxima da estrela Spica às 20h34
05 – Estrela Formalhaut em oposição às 08h13
06 – Lua Cheia às 04h04
10 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Epsilon Perseídeos
13 – Lua em quarto minguante às 03h26
13 – Lua no perigeu. Distância: 369.956 km da Terra às 13h42
17 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h05
18 – Lua próxima de Vênus às 05h07
18 – Lua próxima da estrela Regulus às 05h10
19 – Vênus muito próximo da estrela Regulus às 05h21
20 – Lua nova às 02h31
21 – Lua próxima da estrela Spica às 19h22
21 – Lua próxima de Júpiter às 19h33
22 – Equinócio de primavera no hemisfério sul às 17h02
23 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 18h07
25 – Lua próxima da estrela Antares às 18h31
26 – Lua próxima de Saturno às 22h37
27 – Lua em quarto crescente às 23h54
27 – Lua no apogeu. Distância: 404.290 km da Terra às 03h57
28 – Constelação de Peixeis em oposição às 06h18

Outubro

03 – Vênus no periélio. Distância: 107,47 milhões de km do Sol às 02h55
05 – Lua Cheia às 15h41
05 – Vênus muito próximo de Marte às 05h12
07 – Marte no afélio. Distância: 249,25 milhões de km do Sol às 18h47
08 – Lua próxima do Aglomerado das Plêiades às 21h48
08 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Draconídeos
10 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Taurídeos do Sul
12 – Lua em quarto minguante às 09h26
12 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Delta Aurigídeos
15 – Lua muito próxima da estrela Regulus às 06h00
15 – Tem início o horário de verão. Adiante seu relógio 1 hora às 00h00
16 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h43
17 – Lua próxima de Marte às 06h21
18 – Lua próxima de Vênus às 06h10
18 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Epsilon Geminídeos
19 – Lua nova às 17h13
19 – Estrela Achernar em oposição às 10h41
21 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Orionídeos
23 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 19h12
23 – Lua próxima de Saturno às 22h31
24 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Leo Minorídeos
25 – Lua no apogeu. Distância: 405.129 km da Terra às 00h43
27 – Lua em quarto crescente às 20h23

Novembro

02 – Constelação de Áries em oposição às 01h15
04 – Lua Cheia às 03h24
05 – Lua próxima do Aglomerado ds Plêiades às 05h35
05 – Lua muito próxima da estrela Aldebaran às 23h06
05 – Lua no perigeu. Distância: 361.410 km da Terra às 23h08
10 – Lua em quarto minguante às 18h37
12 – Mercúrio próximo da estrela Antares às 20h02
12 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Taurídeos do Norte
15 – Lua próxima de Marte às 04h49
15 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h31
15 – Lua próxima da estrela Spica às 05h50
17 – Lua próxima de Júpiter às 05h57
18 – Lua nova às 09h43
18 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Leonídeos
19 – Mercúrio em máximo brilho às 04h46
19 – Lua próxima de Mercúrio às 20h33
20 – Lua próxima de Saturno às 20h59
21 – Lua no apogeu. Distância: 406.127 km da Terra às 17h33
21 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 19h25
22 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Alfa Monocerotídeos
23 – Mercúrio em máxima elongação. Visível após o ocaso às 19h26
26 – Lua em quarto crescente às 15h04
27 – Marte próximo da estrela Spica às 05h43
27 – Mercúrio próximo de Saturno às 20h29

Dezembro

01 – Constelação de Touro em oposição às 02h49
02 – Estrela Aldebaran em oposição às 11h55
02 – Lua próxima do Aglomerado das Plêiades às 20h26
02 – Dia da Astronomia no Brasil
03 – Superlua Cheia. A Lua estará mais próxima da Terra (357.987 km) às 13h48
03 – Lua próxima de Aldebaran às 05h46
04 – Lua no perigeu. Distância: 357.525 km da Terra às 07h39
06 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Fenicídeos
07 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Pupídeos-Velídios
09 – Lua próxima da estrela Regulus às 00h43
09 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Monocerídeos
10 – Lua em quarto minguante às 05h52
11 – Estrela Capela em oposição às 19h36
12 – Constelação de Órion em oposição às 13h37
12 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Sigma Hidrídeos
13 – Lua próxima de Marte às 05h51
14 – Lua próxima de Júpiter às 06h05
14 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Geminídeos
15 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, antes do alvorecer às 06h35
16 – Lua próxima da estrela Antares às 05h53
16 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Coma Berenicídeos
18 – Lua nova às 04h31
20 – Estrela Betelgeuse em oposição às 12h16
20 – Madrugada de máxima atividade da chuva de meteoros Leonis Minorídeos
21 – Solstício de verão no hemisfério sul às 14h29
21 – Melhor dia para observar a luz cinérea na Lua, após o ocaso às 19h42
26 – Lua em quarto crescente às 07h21
26 – Estrela Canopus em oposição às 23h59
30 – Lua próxima do Aglomerado das Plêiades às 03h26
30 – Lua muito próxima da estrela Aldebaran às 21h52
31 – Estrela Sirius em oposição às 19h00
_
GLOSSÁRIO
Afélio: Quando um objeto está na sua maior distância do Sol
Alvorecer: Conhecido popularmente como o “nascer do Sol”
Apogeu: Quando um objeto está na sua maior distância da Terra
Efemérides: Lista de eventos ou outros acontecimentos no céu
Elongação: Observado da Terra, maior ou menor distância angular de Mercúrio ou Vênus do Sol
Equinócio: Ocorre em dois dias por ano, quando em março e setembro o dia e a noite possuem a mesma duração
Luz cinérea: Luz da Terra refletida sobre a Lua
Ocaso: Conhecido popularmente como o “pôr do Sol”
Oposição: Melhor dia para observar o objeto. Ele estará mais brilhante e visível durante toda a noite
Periélio: Quando um objeto está na sua menor distância do Sol
Perigeu: Quando um objeto está na sua menor distância da Terra
Solstício: Ocorre em dois dias por ano, quando temos em junho a noite mais longa do ano e em dezembro o dia mais longo do ano (no hemisfério sul)

13 fenômenos que protagonizarão espetáculos no céu em 2017
























Se em 2016 foi o ano da Superlua, 2017 será dos eclipses, planetas próximos à Terra e chuvas de meteoros. Dos 13 principais fenômenos previstos para protagonizarem um verdadeiro espetáculo no céu, pelo menos, três merecem destaque.

Em 2017, três eclipses do Sol e da lua (esse último com aspecto de sangue) prometem causar admiração nas pessoas que olharem além do horizonte. Os planetas Vênus, Júpiter e Saturno ficarão mais próximos ao planeta Terra, podendo ser observados em maiores detalhes. A Superlua volta a brilhar no espaço em dezembro, só que com menos intensidade do que as maiores previstas para o século.

Portanto, fique sabendo do calendário dos principais fenômenos previstos para o próximo ano, de acordo com a astronomia. A lista completa dos astroeventos pode ser encontrada no anuário disponibilizado no site do Futuro Astrônomo.

4 de Janeiro - Chuva de Meteoros Quadrantídeas



O Fenômeno acontece todos os anos, sendo mais visto no Hemisfério Norte. No Brasil, as pessoas ainda poderão ter uma boa visualização. A dica de James Solon, astrônomo do grupo Astro PE é contemplar em um lugar mais afastado da cidade, assim como na área rural, devido à poluição luminosa (luzes artificiais).

12 de Janeiro - Vénus mais próxima da terra




O planeta, também conhecido como estrela D'alva, poderá ser apreciado por mais tempo no céu neste dia. O astro estará mais visível após o pôr do sol, por volta das 18h. Mesmo sendo um planeta mais irradiante do Sistema Solar, depois do Sol e da lua, o objeto celeste estará como uma estrela, brilhando ainda mais forte.

10 de Fevereiro - Eclipse da Lua


O fenômeno será visto totalmente no céu do País, exceto no Oeste da região Norte do Brasil. Já no Recife, o eclipse da lua poderá ser visto às 21h44. No auge, o astrônomo diz que o satélite natural da Terra vai ficar aparentemente vermelha, com aspecto da Lua de Sangue.

26 de Fevereiro - Eclipse anular do Sol


O eclipse, momento em que a lua cobre parte do sol, será visto parcialmente nas regiões Sul e Sudeste do Brasil, além de partes do Centro-Oeste. Na região Nordeste, o fenômeno poderá ser visto quando estiver entre 15% a 20% do total.

08 de Abril - Júpiter mais proximo da Terra


O planeta estará a 666,45 milhões de quilômetros da Terra, podendo ser observado às 18h25 e vai até as 6h da manhã. O astrônomo garante que o maior planeta do Sistema Solar ficará ainda mais brilhante.

15 de Junho - Saturno mais proximo da Terra


O sexto planeta a partir do Sol e o segundo maior do Sistema Solar estará a 1,352 bilhões de quilômetros da Terra. Saturno poderá ser visto por volta das 11h07 no Brasil.

Julho - Observação da Via Láctea


Durante todo o mês, as pessoas poderão apreciar com mais detalhe a Via Láctea. O melhor horário, de acordo com James, será das 19h às 4h da manhã. O astrônomo ainda diz que uma faixa esbranquiçada poderá ser vista no céu. O melhor local para observar é afastado da cidade, como interior, devido à poluição luminosa.

13 de Agosto - Chuva de meteóros Perseídeas


A madrugada deste dia será de chuva de meteoros, período em que a lua minguante vai dificultar a observação. O astrônomo explica que a iluminação do satélite natural da Terra pode atrapalhar a visualização do cometa. A orientação é apreciar em um lugar afastado da cidade.

21 de Agosto- Eclipse parcial do Sol


Em algumas partes mundo está previsto para ocorrer o eclipse total do Sol. Apenas no Brasil, o fenômeno será parcial, sobretudo nas regiões Norte e Nordeste, podendo ser visualizado no fim da tarde. Quem olhar para o céu nesta data só poderá ver apenas 30% do total. Para nós, o eclipse parcial vai acontecer porque apenas uma parte do Sol ficará coberto pela lua.

21 de Outubro - Chuva de meteóros Orionídeos


A chuva de meteoros, também conhecida como Constelação das Três Marias, terá mais destaque no céu devido à lua nova. O especialista explica que o fenômeno terá a melhor visualização por causa do satélite natural da Terra, que não estará muito brilhante e sem interferência na observação.

18 de Novembro - Chuva de meteóros Leonídeos


A madrugada desta data será de meteoros, prevista para começar às 1h da manhã e vai até as 5h. O astrônomo explica que a pouca luminosidade da lua nova no dia 18 não vai impedir a visualização da chuva de cometas.

03 de Dezembro - Super Lua Cheia


Depois de ocorrer três fenômenos da Superlua em 2016, no fim do próximo ano ela volta a bilhar no céu. Apesar de o satélite ficar a 357.987 km da Terra, quando normalmente fica a 384.400 km, ele não estará na lista dos maiores previstos para o século. No entanto, será um ótimo período para não deixar de contemplar o horizonte.

14 de Dezembro - Chuva de meteoros Geminídeos


A constelação de Gêmeos terá uma noite máxima de meteoros. O comenta, chamado de Geminídeos, poderá ser visto no fim da madrugada deste dia. Na ocasião, a lua estará super fina, sendo um excelente período para observar o céu mais atento e sem interferência luminosa do satélite natural da Terra, segundo o pesquisador do Astro PE.

In: Noticiasne10